Budismo

Shingon – Budismo Esotérico Japonês – O que é o budismo Shingon?

A escola budista japonesa de Shingon é uma espécie de anomalia. É uma escola mahayana, mas também é uma forma de budismo esotérico ou tântrico e a única escola vajrayana viva fora do budismo tibetano. Como isso aconteceu?

O budismo tântrico originou-se na Índia. O Tantra chegou ao Tibete no século VIII, trazido para lá por antigos professores como Padmasambhava. Mestres tântricos da Índia também estavam ensinando na China no século 8, estabelecendo uma escola chamada Mi-tsung, ou “escola dos segredos”.

Foi chamado assim porque muitos de seus ensinamentos não estavam comprometidos com a escrita, mas só podiam ser recebidos diretamente de um professor. As fundações doutrinárias de Mi-tsung são expostas em dois sutras, o Mahâvairocana Sutra e o Vajrasekhara Sutra, ambos provavelmente escritos no século VII.

Em 804, um monge japonês chamado Kukai (774-835) foi incluído em uma delegação diplomática que partiu para a China. Na capital da dinastia Tang de Chang’an ele conheceu o renomado professor de Mi-tsung Hui-Guo (746-805).

Hui-Guo ficou impressionado com o seu estudante estrangeiro e iniciou pessoalmente Kukai nos muitos níveis da tradição esotérica. Mi-tsung não sobreviveu na China, mas seus ensinamentos continuam no Japão.

Estabelecendo o Shingon no Japão

Kukai retornou ao Japão em 806, preparado para ensinar, embora a princípio não houvesse muito interesse em seu ensino. Foi sua habilidade como calígrafo que mereceu a atenção da corte japonesa e do imperador Junna.

O Imperador tornou-se o patrono de Kukai e também nomeou a escola de Kukai, Shingon, da palavra chinesa zhenyan, ou “mantra”. No Japão, Shingon também é chamado de Mikkyo, um nome às vezes traduzido como “ensinamentos secretos”.

Veja mais: Evangelização: Hinduísmo e Budismo

Entre suas várias outras realizações, Kukai estabeleceu o mosteiro do Monte Kyoa em 816. Kukai também coletou e sistematizou a base teórica do Shingon em vários textos, incluindo uma trilogia chamada Os Princípios de Alcançar a Iluminação nesta Existência (Sokushin-jobutsu-gi), os princípios da boa, Significado e Reality (Shoji-Jisso-gi) e T ele Princípios do Mantric Syllable (Unji-gi).

A escola Shingon hoje é subdividida em muitos “estilos”, a maioria dos quais está associada a um determinado templo ou linhagem de professores. O Shingon continua sendo uma das escolas mais proeminentes do budismo japonês, embora seja menos conhecido no Ocidente.

Práticas Shingon

O budismo tântrico é um meio de realizar a iluminação experimentando a si mesmo como um ser iluminado. A experiência é possibilitada através de práticas esotéricas envolvendo meditação, visualização, canto e ritual. No Shingon, as práticas envolvem corpo, fala e mente para ajudar o aluno a experimentar a natureza de Buda.

Shingon ensina que a verdade pura não pode ser expressa em palavras, mas somente através da arte. Mandalas – “mapas” sagrados do cosmos – são especialmente importantes em Shingon, dois em particular.

Uma é a mandala garbhadhatu (“ventre”), que representa a matriz da existência da qual todos os fenômenos se manifestam. Vairocana, o Buda universal, fica no centro de um trono de lótus vermelho.

A outra mandala é o vajradhatu, ou mandala de diamante, que retrata os Cinco Dhyani Buddhas, com Vairocana no centro. Esta mandala representa a sabedoria de Vairocana e a realização da iluminação.

Kukai ensinou que Vairocana emana toda a realidade de seu próprio ser, e que a própria natureza é uma expressão dos ensinamentos de Vairocana no mundo.

Veja mais: Evangelização: Hinduísmo e Budismo

O ritual de iniciação para um novo praticante envolve a colocação de uma flor no mandala vajradhatu. A posição da flor na mandala indica qual buda ou bodhisattva transcendente está capacitando o estudante.

Através de rituais que envolvem corpo, fala e mente, o estudante visualiza e conecta-se ao seu ser iluminado capacitado, eventualmente experimentando o ser iluminado como seu próprio eu.

 

Avalie este post
[Total: 0 Average: 0]

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.