Pin It

Mudras e seu verdadeiro segredo para manifestar riquezas

Budismo

Interferência – A inter-existência de todas as coisas

Interferência – A inter-existência de todas as coisas

Interser é um termo cunhado por Thich Nhat Hanh que está atraindo muitos budistas ocidentais. Mas o que isso significa? E “interbeing” representa um novo ensinamento no budismo?

Para responder a última pergunta primeiro – não, interser não é um novo ensinamento budista. Mas é uma maneira útil de falar sobre alguns ensinamentos muito antigos.

A palavra inglesa interbeing é uma aproximação do vietnamita tiep hienThich Nhat Hanh escreveu em seu livro Intersering: Quatorze Diretrizes para o Budismo Engajado (Parallax Press, 1987) que tiep significa “estar em contato com” e “continuar”.

Hien significa “perceber” e “fazer isso aqui e agora”. Muito brevemente, tiep significa estar em contato com a realidade do mundo enquanto continua no caminho de iluminação do BudaHien significa perceber os ensinamentos do Buda e manifestá-los no mundo de aqui e agora.

Como doutrina, interser é a doutrina do Buda da Origem Dependente, particularmente dentro de uma perspectiva budista mahayana.

InterserOrigens Dependentes

Todos os fenômenos são interdependentes. Este é um ensinamento budista básico chamado pratitya-samutpada, ou Origem Dependente, e este ensinamento é encontrado em todas as escolas do budismo. Conforme registrado no Sutta-pitaka, o Buda histórico ensinou essa doutrina em muitas ocasiões diferentes.

Basicamente, essa doutrina nos ensina que nenhum fenômeno tem existência independente. Seja o que for, passa a existir por causa de fatores e condições criadas por outros fenômenos. Quando fatores e condições não suportam mais essa existência, então essa coisa deixa de existir. O Buda disse:

Quando isto é, isto é. 
Do surgimento disso vem o surgimento disso. 
Quando isso não é, não é. 
Da cessação disto vem a cessação disso.

(Do Assutava Sutta, Samyutta Nikaya 12.2, tradução de Thanissaro Bhikkhu.)

Esta doutrina se aplica a fatores mentais e psicológicos, bem como à existência de coisas e seres tangíveis. Em seus ensinamentos sobre os Doze Links da Origem Dependente, o Buda explicou como uma cadeia ininterrupta de fatores, cada um dependente do último e dando origem ao próximo, nos mantém presos ao ciclo do samsara.

O ponto é que toda a existência é um vasto nexo de causas e condições, constantemente mudando, e tudo está interconectado com todo o resto. Todos os fenômenos inter-existem.

Thich Nhat Hanh explicou isso com um símile chamado Clouds in Each Paper.

“Se você é um poeta, verá claramente que há uma nuvem flutuando nesta folha de papel. Sem uma nuvem, não haverá chuva; sem chuva, as árvores não podem crescer: e sem árvores, não podemos fazer papel.

A nuvem é essencial para que o papel exista. Se a nuvem não estiver aqui, a folha de papel também não pode estar aqui. Portanto, podemos dizer que a nuvem e o papel estão inter-relacionados. “

Interser Mahayana e Madhyamika

Madhyamika é uma filosofia que é uma das fundações do budismo Mahayana. Madhyamika significa “caminho do meio” e examina a natureza da existência.

Madhyamika nos diz que nada tem uma natureza intrínseca e permanente. Em vez disso, todos os fenômenos – incluindo seres, incluindo pessoas – são confluências temporárias de condições que tomam identidade como coisas individuais de seu relacionamento com outras coisas.

Considere uma mesa de madeira. É uma montagem de peças. Se desmontarmos pouco a pouco, em que ponto deixará de ser uma mesa? Se você pensar sobre isso, esta é uma percepção totalmente subjetiva.

Uma pessoa pode assumir que não há tabela, uma vez que não é mais utilizável como uma tabela; outro pode olhar para a pilha de peças de madeira e projetar a identidade da mesa nelas – é uma mesa desmontada.

O ponto é que a montagem de peças não tem natureza intrínseca de tabela; é uma mesa porque é o que achamos que é. “Table” está em nossas cabeças. E outra espécie pode ver a montagem de peças como alimento ou abrigo ou algo para fazer xixi.

O “caminho do meio” de Madhyamika é um meio termo entre afirmação e negação. O fundador de Madhyamika, Nagarjuna (ca. 2o século dC), disse que é incorreto dizer que os fenômenos existem, e também é incorreto dizer que os fenômenos não existem. Ou não existe realidade nem não-realidade; apenas relatividade.

O Sutra Avatamsaka

Outro desenvolvimento do Mahayana é representado no Avatamsaka ou no Flower Garland Sutra. A Guirlanda de Flores é uma coleção de pequenos sutras que enfatizam a interpenetração de todas as coisas.

Isto é, todas as coisas e todos os seres não apenas refletem todas as outras coisas e seres, mas também toda a existência em sua totalidade. Em outras palavras, não existimos como coisas distintas; em vez disso, como o Ven. Thich Nhat Hanh diz, nós inter-somos .

Em seu livro O Milagre da Atenção Plena (Beacon Press, 1975), Thich Nhat Hanh escreveu que, porque as pessoas cortam a realidade em compartimentos, elas são incapazes de ver a interdependência de todos os fenômenos.

Em outras palavras, porque pensamos em “realidade” como muitos objetos distintos, não consideramos como eles realmente se interconectam.

Mas quando percebemos a interexistência, vemos que não apenas tudo está interconectado; vemos que tudo é um e um é tudo. Somos nós mesmos, mas ao mesmo tempo somos todos uns aos outros.

 

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.