Pin It

Mudras e seu verdadeiro segredo para manifestar riquezas

Budismo

Ação Correta e o Caminho da Oito Dobras

Ação Correta e o Caminho da Oito Dobras

Ação Correta: O Caminho Óctuplo é o caminho para a iluminação, conforme ensinado pelo Buda. É ilustrado pela roda do dharma de oito raios porque o caminho é composto de oito partes ou áreas de atividade que trabalham juntas para nos ensinar e nos ajudar a manifestar o dharma.

Ação Correta é o quarto aspecto do Caminho. Chamado samyak-karmanta em sânscrito ou samma kammanta em Pali, Right Action faz parte da parte “conduta ética” do caminho, juntamente com Right Livelihood e Right Speech.

Esses três “raios” da roda do dharma nos ensinam a tomar cuidado em nossa fala, nossas ações e nossa vida diária para não causar dano aos outros e cultivar a integridade em nós mesmos.

Assim, “Ação Correta” diz respeito à moralidade “certa” – traduzida como  samyak ou samma – Significa ser preciso ou habilidoso e tem uma conotação de “sábio“, “saudável” e “ideal“.

É “certo” no sentido de ser “justo”, do mesmo modo que um navio se auto-intitula quando atingido por uma onda. Também descreve algo que é completo e coerente.

Essa moralidade não deve ser tomada como um mandamento, como em “faça isso, ou você está errado”. Os aspectos do caminho são mais parecidos com a prescrição de um médico do que com regras absolutas.

Isso significa que quando agimos “corretamente”, agimos sem apego egoísta às nossas próprias agendas. Nós agimos conscientemente, sem causar discórdia com o nosso discurso. Nossas ações “certas” nascem da compaixão e da compreensão do dharma.

A palavra para “ação” é karma ou kamma. Significa “ação volitiva”; as coisas que escolhemos fazer, se essas escolhas são feitas consciente ou inconscientemente.

Outra palavra relacionada à moralidade no budismo é Sila, às vezes soletrada shila. Sila é traduzido para o inglês como “moralidade”, “virtude” e “conduta ética”.

Sila é sobre a harmonia, que aponta para o conceito de moralidade como viver em harmonia com os outros. Sila também tem uma conotação de frescor e manutenção da compostura.

Ação Correta e os Preceitos

Mais do que qualquer outra coisa, Ação Correta refere-se a manter os Preceitos. As muitas escolas do budismo têm várias listas de preceitos, mas os preceitos comuns à maioria das escolas são estes:

  1. Não matando
  2. Não roubar
  3. Não abusando de sexo
  4. Não estou mentindo
  5. Não abusando de intoxicantes

Os preceitos não são uma lista de mandamentos. Em vez disso, descrevem como um ser iluminado vive e responde naturalmente aos desafios da vida. Ao trabalharmos com os preceitos, aprendemos a viver harmoniosamente e com compaixão.

Treinamento Correto e Mindfulness

O professor zen vietnamita Thich Nhat Hanh disse: “A base da Ação Correta é fazer tudo em atenção plena”. Ele ensina Cinco Treinamentos de Mindfulness que se correlacionam com os cinco preceitos listados acima.

O primeiro treinamento envolve respeitar a vida. Na consciência do sofrimento causado pela destruição da vida, trabalhamos para proteger todas as coisas vivas e este planeta que sustenta a vida.

O segundo treinamento envolve generosidade. Nós damos livremente do nosso tempo e recursos onde eles são necessários, sem acumular coisas que não precisamos. Nós não exploramos outras pessoas ou recursos para nosso próprio benefício. Agimos para promover a justiça social e bem-estar para todos.

O terceiro treinamento envolve sexualidade e evitar má conduta sexual. Na consciência da dor causada pela má conduta sexual, honramos os compromissos e também agimos quando podemos proteger os outros da exploração sexual.

O quarto treinamento envolve fala amorosa e escuta profunda. Isso significa evitar linguagem que cause inimizade e discórdia. Através da escuta profunda dos outros, derrubamos as barreiras que nos separam.

O quinto treinamento envolve o que consumimos. Isso inclui nutrir a nós mesmos e aos outros alimentos saudáveis ​​e evitar intoxicantes. Envolve também quais livros nós lemos ou quais programas de televisão assistimos. Entretenimentos que são viciantes ou causam agitação podem ser melhor evitados.

Ação Correta e Compaixão

A importância da compaixão no budismo não pode ser exagerada. A palavra sânscrita que é traduzida como “compaixão” é Karuna, que significa “simpatia ativa” ou a vontade de suportar a dor dos outros. Intimamente relacionado a Karuna está Metta, ” bondade amorosa “.

É importante lembrar também que a genuína compaixão está enraizada na prajna, ou “sabedoria”. Basicamente, prajna é a percepção de que o eu separado é uma ilusão. Isso nos leva a não vincular nossos egos ao que fazemos, esperando ser agradecidos ou recompensados.

No Sutra da Essência do Coração, Sua Santidade o Dalai Lama escreveu:

“De acordo com o budismo, compaixão é uma aspiração, um estado de espírito, querer que os outros sejam livres de sofrimento.

Não é passivo – não é apenas empatia – mas sim um altruísmo empático que se esforça ativamente para libertar os outros do sofrimento. tanto a sabedoria como a gentileza amorosa, isto é, é preciso entender a natureza do sofrimento do qual desejamos libertar os outros (isso é sabedoria), e é preciso experimentar profunda intimidade e empatia com outros seres sencientes (isso é bondade amorosa) ”

 

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.